Grãos crus ou germinados: diferenças nutricionais

A germinação é o início de um processo em que a semente se torna uma planta, aumentando imensamente seus valores nutricionais. Quando um grão possui as quantidades necessárias de água, oxigênio e calor germina para formar um novo ser vivo. Nos grãos germinados todo o imenso potencial nutritivo está desenvolvido ao máximo, havendo liberação de energia, bem como de uma série de enzimas e de catalisadores.
No caso dos grãos de cereais germinados, os teores de alguns aminoácidos aumentam (entre eles a lisina que é um aminoácido essencial); assim como algumas vitaminas (antioxidantes, como a vitamina C e betacaroteno) e minerais. 
Durante o processo de germinação, há a liberação de enzimas que hidrolisam o amido em carboidratos simples e as proteínas em aminoácidos livres, facilitando a absorção desses nutrientes. Ocorre também a redução dos fatores antinutricionais (que prejudicam a absorção de nutrientes pelo organismo), como o ácido fítico (fitato) e o tanino, encontrados nos cereais integrais, feijões e oleaginosas.
Dentre os alimentos que podem ser germinados estão os grãos inteiros de cereais (arroz, trigo, centeio, cevada), leguminosas (todos os tipos de feijões, ervilha, soja, grão-de-bico, lentilha), sementes (quinoa, linhaça, abóbora, girassol, gergelim), oleaginosas (castanha do pará, castanha do caju, amendoim, amêndoa, nozes).


Bjo da nutri.

Comentários

Postagens mais visitadas