Obesidade contribui para infertilidade da mulher

Longe de ser apenas uma questão de beleza, reduzir o peso tem outros papéis fundamentais no bem estar feminino. Diversos estudos têm avaliado que a obesidade causa distúrbios ovulatórios, alterações menstruais, infertilidade, disfunções sexuais, aumento nas taxas de aborto e influência sobre a produção de hormônios essenciais que regulam a ovulação e desenvolvem os óvulos. Além de estar relacionado a doenças como diabetes, hipertensão e câncer, o distúrbio também tem um grande impacto na saúde reprodutiva da mulher em idade fértil, gerando problemas hormonais e causando dificuldades específicas para a gravidez. 

A produção do hormônio liberador de gonadotropina (GnRH), essencial para regular a ovulação, é influenciada pela obesidade. Esse hormônio é responsável pela liberação do hormônio luteinizante (LH) e do hormônio folículo estimulante (FSH), essenciais para o desenvolvimento de óvulos.




Outra consequência do peso em excesso é a alteração na produção de insulina, liberada pelo pâncreas, que pode levar a um problema de infertilidade conhecido como Síndrome do Ovário Policístico (SOP). A condição remete a altos níveis de hormônio, à anovulação (diminuição ou parada de ovulação) e a ciclos menstruais irregulares, diminuindo assim as chances de gravidez.

Mulheres acima do peso que desejam engravidar, é importante buscar cuidados nutricionais prévios, pois além da dificuldades quanto a fertilidade, há mais riscos na gestação.

Abração :)

Comentários

Postagens mais visitadas