Amamentação e uso de cosméticos


O investimento na melhoria da aparência física é um direito de toda mulher, principalmente após o parto, quando muitas vivenciam a árdua tarefa de compatibilizar atividades domésticas e de trabalho, além de noites mal dormidas. Após a gravidez, é natural que a mulher queira se sentir mais bonita e atraente, o que é saudável, uma vez que eleva sua auto-estima. Dessa forma muitas mães partem em busca de recursos cosméticos das mamas. Assim é fundamental que a mulher em amamentação e o profissional de saúde tenham conhecimento dos riscos que alguns desses recursos cosméticos podem oferecer às crianças durante a amamentação.

Escovas Progressivas

As escovas progressivas podem ser realizadas pelas nutrizes desde que não contenham formol, que, quando utilizado em altas concentrações, é uma substância prejudicial. O formol é um produto acrescentado em fórmulas caseiras com função alisante na concentração de 3.5%. Cabe lembrar que a Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)só permite o uso de formol  em cosméticos  como conservante ( concentração de 0,2%) ou como agente de endurecimento de unhas (concentração de 5%), ou seja, seu uso como alisante não é autorizado.

Tinturas para cabelo

Os médicos freqüentemente são argüidos sobre a segurança do uso de tinturaspara cabelo pelas nutrizes. A prática de tingir os cabelos é considerada segura caso o produto não contenha chumbo. Atualmente raras são as apresentações que contêm esse metal pesado, o qual está associado a sintomas como anorexia, mal-estar, gosto metálico,cefaléia e cólicas abdominais, além da piora do rendimento escolar e no desenvolvimento neuropsicomotor. Contudo a informação de que tinturas contendo amônia devem ser evitadas durante a lactação não encontra respaldo na literatura científica.

Toxina Botulínica


A utilização da toxina botulínica do tipo A (Botox ou Dysport) para fins cosméticos cresceu muito entre as mulheres, mesmo entre as mais jovens. Há carência de estudos que avaliem a segurança desse fármaco durante a amamentação. Entretanto devido as suas características farmacológicas, é improvável sua passagem para o leite, de modo que seu uso é considerado moderadamente seguro durante a amamentação.
Implantes mamários de silicone
Em virtude de implantes de próteses de silicone para aumento ou correção de mama, algumas informações podem ser úteis
Segundo a literatura, o silicone utilizado para aumento do volume das mamas foi implantado em cerca de 1 milhão de mulheres norte-americanas até o ano de 2001. No entanto somente um estudo relatou disfunção esofágica em 11 crianças amamentadas cujas mães receberam implantes. Outros estudos não confirmam esses achados. Assim a Associação Americana de Pediatria (AAP), classifica o implante de silicone como compatível com a amamentação.

Percing e tatuagens

O uso de piersings mamilares e tatuagens areolomamilares é cada vez mais freqüente entre as mulheres, principalmente entre os adolescentes. Porém essas práticas podem interferir no aleitamento materno. Ao ser colocado o piersing, assim como a tatuagem, pode levar a perfuração dos ductos mamários, com posterior fibrose e obstrução ductal. O risco é que, no futuro, isso possa dificultar a saída do leite. Tatuagens com tintas do tipo henna estão frequentemente associados a dermatite local nunca devendo ser  realizadas durante o período de amamentação.

Amamentação e uso de plantas medicinais

Não há estudos  que mostram  o uso de plantas medicinais  durante o período da amamentação. Sugere-se as nutrizes evitar, sempre que possível, ouso de chás com ervas medicinais  devido a carência de estudos sobre a segurança da grande maioria das plantas e aos conhecidos efeitos tóxicos que algumas podem provocar sobre o organismo. De forma semelhante, deve-se evitar o consumo de fototerápicos de composição desconhecida.

Referência:

Weffort V.R.S e Lamounier J.A - Nutrição em Pediatria da Neonatologia à Adolescência - Manoele/2009

Comentários

Postagens mais visitadas