Peça agora os seus, é vapt-vupt!

ONU declara 2016 Ano Internacional das leguminosas


Oi Queridos estive pensando muito nos últimos acontecimentos, relacionados a saúde e vegetarianismo e quero compartilhar com vocês.

Interessantíssimo! Em 2013 a ONU – Organização das Nações Unidas declarou que aquele ano seria o ‘Ano Internacional da Quínua’ e realmente foi um período que se propagou o uso desse super alimento, a comunidade científica considera como o 3º melhor alimento do mundo, pois possui todos os nutrientes necessários à vida, perdendo apenas para o leite materno e o ovo. Para mim o 2º melhor alimento do mundo, pois é de origem vegetal. Quínua é um alimento completo, seu aporte de aminoácidos essenciais faz dela uma excelente fonte de proteína e pasmem, substitui com propriedade a carne, na verdade no aspecto nutricional a carne fica beeem atrás da quínua.

O tempo avançou, e o debate sobre o vegetarianismo tem ganhado força, antes considerado apenas uma dieta da moda, hoje uma boa alternativa para o emagrecimento, manutenção e recuperação da saúde e a solução para a sustentabilidade de fato. A indústria tem sentido o baque, tanto é que em fevereiro de 2014 a Friboi lançou uma campanha acirrada intitulada ‘Eu Voltei’ com a participação do cantor Roberto Carlos, mencionando que ele tinha voltado a comer carne. A campanha não deu certo, inclusive a empresa fez a rescisão do contrato com o cantor.

No mesmo ano, em outubro o Ministério da Saúde publicou o novo Guia Alimentar da População Brasileira, que veio com uma proposta bem inovadora e inteligente. Propondo maior uso de alimentos e não produtos alimentícios, de preferência na forma in natura ou minimamente processados, bem como a inclusão de refeições vegetarianas no cardápio como medida de saúde e qualidade de vida. Quem acompanhou viu o alvoroço que foi, muitas críticas da sociedade, mas também muitos aplausos, principalmente pela comunidade científica e ganhou destaque internacional.

O tempo não para, ele voa e 2015 chegou, durante esse ano percebi o quanto o tema vegetarianismo ganhou espaço na imprensa. Em outubro a ONU colocou a carne vermelha e embutidos na lista dos alimentos cancerígenos. Foi um bafafá. O que eu achei mais curioso foram as matérias sensacionalistas e falaciosas. Acredito, que o tema precisa ser debatido de modo respeitoso e amigável. Afinal, palavras e ações também sangram. Né?

Bom, 2016 chegou e fiquei super empolgada quando me deparei com a declaração da ONU, que 2016 será o Ano Internacional das leguminosas. Ebaaa! Queridos, segundo a ONU o objetivo é encorajar o uso de feijões (carioca, preto, verde, vermelho, branco, lentilha, ervilha, grão de bico, soja...) como fonte protéica. Acredito, que com o tempo será mais evidente, a importância de reduzir alimentos cárneos no nosso cardápio, seja pelo planeta, pelos animais, por você.

Leguminosas, possuem um bom aporte de aminoácidos de origem vegetal e devem ser consumidas como parte de uma alimentação saudável para enfrentar a obesidade, assim como prevenir e ajudar no controle de doenças crônicas como diabetes, hipertensão e câncer. Em época de crise, como aqui no Brasil, substituir a carne por leguminosas é uma mão na roda, não só para a saúde, mas para o bolso. Basta comparar o preço.

Você tem dúvidas sobre esse assunto? Qual é sua opinião sobre esse assunto? Escreva nos comentários. 

Ah, e por falar nisso, assine minha news e receba de brinde e-books de receitas saudáveis.

Aproveite e curta nossa página no Facebook! Sempre você encontra informações valiosas sobre nutrição, alimentação saudável para emagrecimento, hipertrofia muscular, gestação e muito mais.

Bjo da nutri.

Gostou? Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão liberados para publicação os comentários que contenham ofensas ou palavras agressivas, links para sites duvidosos, ilegais ou mensagens de cunho publicitário. Caso seu comentário não seja aprovado imediatamente, aguarde. Em breve ele será moderado e você, comunicado por e-mail sobre a liberação. Seu endereço de e-mail não será publicado.