Peça agora os seus, é vapt-vupt!

Grãos crus ou germinados: diferenças nutricionais

A germinação é o início de um processo em que a semente se torna uma planta, aumentando imensamente seus valores nutricionais. Quando um grão possui as quantidades necessárias de água, oxigênio e calor germina para formar um novo ser vivo. Nos grãos germinados todo o imenso potencial nutritivo está desenvolvido ao máximo, havendo liberação de energia, bem como de uma série de enzimas e de catalisadores.
No caso dos grãos de cereais germinados, os teores de alguns aminoácidos aumentam (entre eles a lisina que é um aminoácido essencial); assim como algumas vitaminas (antioxidantes, como a vitamina C e betacaroteno) e minerais. 
Durante o processo de germinação, há a liberação de enzimas que hidrolisam o amido em carboidratos simples e as proteínas em aminoácidos livres, facilitando a absorção desses nutrientes. Ocorre também a redução dos fatores antinutricionais (que prejudicam a absorção de nutrientes pelo organismo), como o ácido fítico (fitato) e o tanino, encontrados nos cereais integrais, feijões e oleaginosas.
Dentre os alimentos que podem ser germinados estão os grãos inteiros de cereais (arroz, trigo, centeio, cevada), leguminosas (todos os tipos de feijões, ervilha, soja, grão-de-bico, lentilha), sementes (quinoa, linhaça, abóbora, girassol, gergelim), oleaginosas (castanha do pará, castanha do caju, amendoim, amêndoa, nozes).


Bjo da nutri.

Gostou? Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão liberados para publicação os comentários que contenham ofensas ou palavras agressivas, links para sites duvidosos, ilegais ou mensagens de cunho publicitário. Caso seu comentário não seja aprovado imediatamente, aguarde. Em breve ele será moderado e você, comunicado por e-mail sobre a liberação. Seu endereço de e-mail não será publicado.