Peça agora os seus, é vapt-vupt!

A escolha do nutricionista

Uma relação amistosa com o nutricionista é muito importante em qualquer tratamento ou programa de reeducação alimentar. No entanto, muitos pacientes aceitam passivamente manter um tipo de trato estabelecido pelo profissional, dentro do qual não se sentem confortáveis.

Ao contrário, é importante ser um paciente ativo, inclusive a ponto de mudar de nutricionista muitas vezes, com a intenção de obter a assistência desejada. A escolha deve ser feita depois de obter ampla informação sobre o tipo de assistência que o profissional proporciona (Ele se esmera nas consultas? Informa-se do histórico clínico de seus pacientes? Faz uma avaliação física? Estabelece com eles uma relação de diálogo e compreensão? Quanto tempo dedica à consulta? Qual é a opinião dele sobre a nutrição funcional? O plano alimentar é elaborado de forma personalizada?).

Quanto à colaboração entre nutricionista e paciente, destaco algumas normas de conduta indispensáveis:

Para o nutricionista (inclusive para mim, ok?!)
O interesse dele em seu histórico pessoal e familiar tem como objetivo por o motivo de sua queixa dentro de um contexto mais amplo, relacionado com sua vivência. O tempo que o nutricionista dedica a essa questão deve ser suficientemente extenso, e o problema que leva você a fazer essa consulta não deve jamais ser subestimado nem ouvido com prepotência.




     style="display:inline-block;width:468px;height:60px"
     data-ad-client="ca-pub-6279433030269765"
     data-ad-slot="6502525536">




Dar uma explicação do que ocorrerá durante a consulta é um sinal da boa vontade do nutricionista. Você deve receber explicações claras, expressas em linguagem simples, sobre a natureza do seu problema, procedimentos da avaliação antropométrica, tipos de exame que ele pedirá, bem como a estrutura do planejamento alimentar proposto.

Se ele receitar a administração de um suplemento alimentar e/ou fitoterápico, é também conveniente que fale de sua experiência sobre a tolerância do mesmo, forma de administração, dentre outras peculiaridades.

Para o paciente
Você também tem alguns deveres: descrever como tem sido sua alimentação da melhor forma possível. Procure falar sempre a verdade e jamais omita informações importantes para o profissional.

Não se esqueça de levar com você o nome dos medicamentos que toma com freqüência (o nutricionista pode avaliar as possíveis interações entre os fármacos e alimentos e lhe auxiliar na administração dos mesmos), os resultados dos últimos exames e das consultas feitas com nutricionistas anteriores, a lista de substâncias a que é alérgico e uma cópia do histórico de eventuais internações hospitalares. Sem certas informações, o nutricionista poderá encontrar dificuldades em reconstruir sua história clínica bem como determinar o melhor plano alimentar para o seu caso.

Não conte detalhes inúteis que roubariam o tempo à consulta, seja conciso. É conveniente levar anotações sobre suas dúvidas que você deseja esclarecer para evitar esquecê-las, assim como a embalagem/rótulos de alimentos que poderiam auxiliar o nutricionista.

Se você não entender alguma expressão, deve pedir ao nutricionista que lhe explique, se alguma palavra lhe parecer obscura, não deixe de pedir que ele repita. Não espere sair da consulta e ter que consultar outro nutricionista para obter as respostas e suas perguntas!

As palavras do nutricionista também têm função persuasiva, ou seja, devem motivar você, de maneira profunda e convincente, a seguir o plano alimentar. O nutricionista que sabe ativar as energias interiores do paciente gera um processo de autoajuda que é muitas vezes, fundamental para obter bons resultados. Mas isso pressupõe que o paciente tenha uma imagem positiva do nutricionista e confie nele.

No término da consulta. “escute” suas próprias sensações: se estiver satisfeito, terá um ótimo apoio em cada momento de seu programa de saúde, se estiver insatisfeito com a qualidade do diálogo, com o modo como se estabeleceu a relação, mude de nutricionista! Para sua saúde e bem estar, é mais importante que se sinta bem e que não tenha sentimentos negativos que impeçam a possibilidade de seguir o tratamento.

Talvez a dificuldade da relação dependa também das excessivas expectativas que você possa ter, motivadas pela esperança de que um problema que se arrasta há anos seja resolvido em pouco tempo ou tomando algum alimento milagroso.

Para você conseguir alcançar seus objetivos se faz necessário consultar o nutricionista várias vezes, experimentar planos alimentares seguros e considerar os limites!! Abração ;)

Gostou? Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão liberados para publicação os comentários que contenham ofensas ou palavras agressivas, links para sites duvidosos, ilegais ou mensagens de cunho publicitário. Caso seu comentário não seja aprovado imediatamente, aguarde. Em breve ele será moderado e você, comunicado por e-mail sobre a liberação. Seu endereço de e-mail não será publicado.